Ainda em andamento, o segundo semestre desse ano já teve 120.714 mil reclamações do e-commerce registradas na Fundação Procon-SP. O número corresponde a praticamente ao primeiro semestre todo, que foi de 121.173.

Grande parte das reclamações são sobre a entrega, por conta da demora ou até do não recebimento do produto, e também problemas com cobrança. Até o dia 17 de outubro desse ano já são 241.887 demandas, enquanto no ano todo de 2019 foram 78.419, gerando um aumento de 208%.

Por conta desse cenário, numa tentativa de evitar que esses problemas se agravem na Black Friday, o Procon-SP irá convocar uma reunião com as principais empresas de e-commerce, “Vamos solicitar que tomem providências para atender aos direitos dos consumidores. Esses fornecedores precisam investir mais no seu pós-venda, o consumidor não pode ser refém de empresas que só pensam em vender”, afirmou o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Informações: Ecommerce Brasil

LEIA MAIS:

Black Friday: Consumidores não pretendem se apegar às marcas, e sim aos melhores preços

33% dos usuários do WhatsApp utilizam o aplicativo para buscar informações sobre produtos