Quem quer começar uma loja online está ciente de que são necessários diversos investimentos iniciais.

Além disso, existe um mundo novo a ser descoberto e diversas funções que precisam ser exercidas com perfeição. Caso isso não aconteça (e rápido), existem boas chances da empresa não prosperar. Portanto, pode ser interessante considerar este modelo no comércio virtual: o full commerce.

Trata-se de um auxílio nas operações on-line, evitando que os “erros de principiante” coloquem tudo a perder. Ou seja, é uma terceirização de alguns aspectos que podem ser deficientes na administração de um comércio virtual.

Rodrigo Roda, diretor comercial da Infra Commerce, uma das principais empresas de full commerce do mercado, divide as principais necessidades de qualquer e-commerce: Tecnologia, Marketing, Operações e Gestão.

A Tecnologia se refere às necessidades de contratação, implantação e gestão de sistemas envolvidos. Aqui se escolhe e implementa a plataforma de e-Commerce, além da administração dos sistemas de apoio, como ferramentas de marketing, sistemas de Gestão ERP e módulos de pagamento.

O Marketing cuida da estratégia de divulgação da loja e seus produtos, além do posicionamento da marca. Já as Operações fazem com que a esfera “virtual” ganhe o mundo real. Desde o processo de cadastro de produtos, produção de conteúdo como fotos e descrição, processamento dos pagamentos e anti-fraude, atendimento ao cliente, armazenamento dos produtos, processo de faturamento, expedição, embalagens, SAC, recebimento e conferência de devolução, estorno de pagamentos. Ou seja, tudo que exige mão na massa, segundo Rodrigo Roda.

Por fim, a Gestão traz um dos elementos básicos e indispensáveis, como o estabelecimento dos critérios de KPI´s (em inglês “Key Performance Indicator”, ou os famosos “Indicadores-Chave de Desempenho”) adequados. Com essas informações é possível administrar o e-commerce. Portanto, se você quer começar um e-commerce, mas não tem todas as competências necessárias no primeiro momento, a ajuda de um full commerce pode vir bem a calhar!